Covid-19: Uma Pandemia Gerida Pelas Fontes Oficiais Através de uma Comunicação Política

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.40(2021).3520

Palavras-chave:

covid-19, jornalismo, fontes oficiais de informação, comunicação de saúde

Resumo

A pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2 trouxe para o campo jornalístico um conjunto alargado de especialistas, principalmente da área da saúde. No entanto, as fontes oficiais, sobretudo políticas, não perderam espaço. A elas ficou reservado o papel de decisores, mas isso nem sempre foi comunicado da melhor forma, criando-se com regularidade entropias de vária ordem. Por exemplo, por vezes não se tornou claro por que é que alguns países adotaram confinamentos severos enquanto outros rejeitaram medidas restritivas. A resposta a esta pandemia foi sempre difícil. Acima de tudo, porque o conhecimento era escasso, mas muitas vezes porque não havia cooperação e coordenação entre vários agentes, entre eles os governos, autoridades de saúde ou especialistas. Neste trabalho, procuramos saber qual o lugar das fontes oficiais na imprensa portuguesa durante os estados de emergência. Para isso, analisámos dois jornais, um de referência (Público), outro de linha popular (Jornal de Notícias), de 18 de março a 2 de maio de 2020 e de 9 de novembro a 23 de dezembro de 2020. O nosso corpus de análise é composto por 2.307 textos noticiosos: 1.850 textos foram publicados durante a primeira fase de emergência nacional, citando 4.048 fontes; e 457 foram publicados na segunda fase, apresentando a citação de 857 fontes. Como conclusões, constatamos uma grande visibilidade das fontes oficiais, particularmente do governo, sobressaindo aí o primeiro-ministro e um conjunto restrito de outros ministros. Não há propriamente ninguém que assuma o papel de porta-voz oficial daquilo que vai acontecendo, ao contrário do que é recomendado na literatura, e isso foi provocando alguns deslizes na comunicação ao longo de 2020, verificando-se no final desse ano uma subida de casos, resultante também de algumas hesitações ao nível das decisões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Felisbela Lopes, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Braga, Portugal

Felisbela Lopes é professora associada com agregação da Universidade do Minho, onde trabalha desde 1994. Entre 2009 e 2014, foi aí pró-reitora para a área da comunicação. Tem centrado a sua investigação académica nas áreas da informação televisiva, do jornalismo da saúde e das fontes de informação e tem desenvolvido o ensino no campo do jornalismo. Fez agregação e doutoramento com trabalho académico sobre a informação televisiva. É autora de vários artigos em revistas científicas e de livros, entre os quais se destacam Marcelo, Presidente Todos os Dias (Porto Editora, 2019), Jornalista: Uma Profissão Ameaçada (Alêtheia, 2015); Vinte Anos de TV Privada em Portugal (Editora Guerra e Paz, 2012); A TV do Real (Minerva, 2008); A TV das Elites (Campo das Letras, 2007) e o Telejornal e o Serviço Público (Minerva, 1999).

Rita Araújo, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Instituto de Ciências Sociais, Universidade do Minho, Braga, Portugal

Rita Araújo, doutora em Ciências da Comunicação, é investigadora no Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação são a comunicação e o jornalismo em saúde, as fontes de informação, e a literacia em saúde. Foi investigadora visitante no Hunter College, City University School of Public Health, Nova Iorque, e integrou a equipa portuguesa do projeto Health Reporting Training Project (2010-3675 HeaRT), financiado pelo Lifelong Learning Program da Comissão Europeia. Foi investigadora, com uma bolsa financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no projeto nacional A Doença em Notícia (PTDC/CCI-COM/103886/2008). É autora e coautora de vários artigos científicos e capítulos de livros e apresentou já a sua investigação em diversas conferências nacionais e internacionais.

Olga Magalhães, Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, Universidade do Porto, Porto, Portugal

Olga Estrela Magalhães é doutorada em ciências da comunicação pela Universidade do Minho, especializada em assessoria mediática na área da investigação em saúde. É investigadora do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e coordenadora do Gabinete de Comunicação e Imagem da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Os seus interesses de investigação incluem as áreas de comunicação de saúde, comunicação de ciência, jornalismo e assessoria mediática.

Referências

Almeida, S. J., & Botelho, L. (2020, 17 de março). Costa e Marcelo discordam sobre declaração de estado de emergência. Público. https://www.publico.pt/2020/03/17/politica/noticia/costa-prefere-estado-emergencia-tarde-1907984

Anjos, M. (2021, 25 de fevereiro). Ainda não deu para perceber que as reuniões do Infarmed não funcionam? Visão. https://visao.sapo.pt/opiniao/ponto-de-vista/em-sincronizacao/2021-02-25-ainda-nao-deu-para-perceber-que-as-reunioes-do-infarmed-nao-funcionam/

Araújo, R. (2017). Dinâmicas de construção do noticiário de saúde: Uma análise da imprensa generalista portuguesa [Tese de doutoramento, Universidade do Minho]. RepositóriUM. http://hdl.handle.net/1822/45761

Araújo, R. (2020, 3 de julho). Correr atrás do prejuízo. Público. https://www.publico.pt/2020/07/03/opiniao/opiniao/correr-atras-prejuizo-1922850

Daniel, C. (Anfitrião). (2021, 2 de fevereiro). Comunicar em pandemia (Temporada 2, Episódio 2) [Programa de televisão]. In É ou não é? - O grande debate. https://www.rtp.pt/play/p8396/e522038/e-ou-nao-e-o-grande-debate

Dunwoody, S. (2020). Science journalism and pandemic uncertainty. Media and Communication, 8(2), 471–474. https://doi.org/10.17645/mac.v8i2.3224

Fernández-Sande, M., Chagas, L., & Kischinhevsky, M. (2020). Dependence and passivity in the selection of information sources in radio journalism in Spain. Revista Espanola de Documentacion Cientifica, 43(3), 1–18. https://doi.org/10.3989/redc.2020.3.1712

Fielding, J. (2020, 31 de março). Good communication will help beat covid-19. The Hill. https://thehill.com/opinion/healthcare/490410-good-communications-will-help-beat-covid-19

Finset, A., Bosworth H., Butow P., Gulbrandsen, P., Hulsman, R. L., Pieterse, A. H., Street, R., Tschoetschel, R., & Van Weert, J. (2020). Effective health communication - A key factor in fighting the covid-19 pandemic. Patient Education and Counseling, 103(5), 873–876. https://doi.org/10.1016/j.pec.2020.03.027

Gans, H. J. (2004). Deciding what’s news: A study of CBS evening news, NBC nightly news, Newsweek, and Time. Northwestern University Press. (Trabalho original publicado em 1979)

Gomes, H., & Garcia, F. (2020, 12 de novembro). Covid-19. Costa reconhece falhas na comunicação: “A culpa é toda minha”. Concelhos de alto risco passam a ser 191. Expresso. https://expresso.pt/politica/2020-11-12-Covid-19.-Costa-reconhece-falhas-na-comunicacao-A-culpa-e-toda-minha.-Concelhos-de-alto-risco-passam-a-ser-191

Governo da República Portuguesa. (2021, 13 de janeiro). Conferência de imprensa do Conselho de Ministros, 13 de janeiro de 2021. República Portuguesa, XXII Governo. https://www.portugal.gov.pt/pt/gc22/comunicacao/multimedia?m=v&i=conferencia-de-imprensa-do-conselho-de-ministros-13-de-janeiro-de-2021

Lopes, F., Ruão, T., Marinho, S., & Araújo, R. (2011). Jornalismo de saúde e fontes de informação, uma análise dos jornais portugueses entre 2008 e 2010. Derecho a Comunicar - Revista Científica de La Associación de Derecho a La Información, (2), 101–120. http://132.248.9.34/hevila/Derechoacomunicar/2011/no2/6.pdf

Lopes, F., Araújo, R., Magalhães, O., & Sá, A. (2020). Covid-19: Quando o jornalismo se assume como uma frente de combate à pandemia. In M. Martins & E. Rodrigues (Eds.), A Universidade do Minho em tempos de pandemia: Tomo III: Projeções (pp. 205–233). UMinho Editora. https://doi.org/10.21814/uminho.ed.25.11

Lopes, M., & Botelho, L. (2020, 2 de novembro). Costa propõe a Marcelo estado de emergência mínimo e prolongado. Público. https://www.publico.pt/2020/11/02/politica/noticia/costa-propoe-marcelo-estado-emergencia-minimo-prolongado-1937626

Lusa. (2021, 4 de fevereiro). Covid-19. Graça Freitas justifica “desaparecimento” com nova estratégia de comunicação. Expresso. https://expresso.pt/coronavirus/2021-02-04-Covid-19.-Graca-Freitas-justifica-desaparecimento-com-nova-estrategia-de-comunicacao

Magalhães, O. E. (2012). Comunicação de saúde e fontes - O caso da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto [Dissertação de mestrado, Universidade do Porto]. Repositório Aberto. https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/66407

Martins, R. (2020, 10 de novembro). O que falhou na comunicação da pandemia? Público. https://www.publico.pt/2020/11/10/sociedade/noticia/falhou-comunicacao-pandemia-1938580

McGuire, D., Cunningham, J. E. A., Reynolds, K., & Matthews-Smith, G. (2020). Beating the virus: An examination of the crisis communication approach taken by New Zealand Prime Minister Jacinda Ardern during the covid-19 pandemic. Human Resource Development International, 23(4), 361–379. https://doi.org/10.1080/13678868.2020.1779543

Mendes, F. A. (2020, 12 de março). “Manda a prudência que determinemos a suspensão de todas as actividades lectivas presenciais”. Público. https://www.publico.pt/2020/03/12/politica/noticia/manda-prudencia-determinemos-suspensao-actividades-lectivas-presenciais-1907549

Monteiro, L. (2021, 23 de fevereiro). “Reuniões do Infarmed são um faz de conta que se ouve a ciência”. Renascença. https://rr.sapo.pt/2021/02/23/pais/reunioes-do-infarmed-sao-um-faz-de-conta-que-se-ouve-a-ciencia/noticia/227760/

Noar, S. M., & Austin, L. (2020). (Mis)communicating about covid-19: Insights from health and crisis communication. Health Communication, 35(14), 1735–1739,https://doi.org/10.1080/10410236.2020.1838093

Nutbeam, D. (2020). Covid-19: Lessons in risk communication and public trust. Public Health Research & Practice, 30(2), Artigo e3022006. https://doi.org/10.17061/phrp3022006

Pérez Curiel, C., Gutiérrez Rubio, D., Sánchez González, T., & Zurbano Berenguer, B. (2015). El uso de fuentes periodísticas en las secciones de política, economía y cultura en el periodismo de proximidad español. Estudios Sobre El Mensaje Periodístico, 21(0), 101–117. https://doi.org/10.5209/rev_esmp.2015.v21.50661

Ratzan, S. C., Gostin, L.O., Meshkati, N., Rabin, K., & Parker, R. (2020). Covid-19: An urgent call for coordinated, trusted sources to tell everyone what they need to know and do. NAM Perspectives. https://doi.org/10.31478/202003a

Ratzan, S. C., Sommarivac, S., & Rauh, L. (2020). Enhancing global health communication during a crisis: Lessons from the covid-19 pandemic. Public Health Research & Practice, 30(2), Artigo e3022010. https://doi.org/10.17061/phrp3022010

Reich, Z. (2011). Source credibility and journalism. Journalism Practice, 5(1), 51–67. https://doi.org/10.1080/17512781003760519

Reynolds, B., & Seeger, M. W. (2005). Crisis and emergency risk communication as an integrative model. Journal of Health Communication, 10(1), 43–55. https://doi.org/10.1080/10810730590904571

Ribeiro, V. (2006). Fontes sofisticadas de informação: Análise do produto jornalístico político da imprensa nacional diária de 1995 a 2005 [Dissertação de mestrado, Universidade do Porto]. Repositório Aberto. http://hdl.handle.net/10216/13047

Santos, P. C. dos. (2020, 23 de novembro). A comunicação em saúde no contexto da pandemia: Quando tudo serve para arma de arremesso político. Expresso. https://expresso.pt/opiniao/2020-11-23-A-Comunicacao-em-Saude-no-contexto-da-pandemia-quando-tudo-serve-para-arma-de-arremesso-politico

Santos, R. (1997). A negociação entre jornalistas e fontes. Minerva.

SIC Notícias. (2020, 9 de abril). Portugal é considerado um exemplo de boas práticas no combate à pandemia de covid-19. SIC Notícias. https://sicnoticias.pt/especiais/coronavirus/2020-04-09-Portugal-e-considerado-um-exemplo-de-boas-praticas-no-combate-a-pandemia-de-Covid-19

SNS | Portal do SNS. (2020, 22 de março). 22/03/2020 | Conferência de imprensa covid-19 [Video]. YouTube. https://www.youtube.com/watch?v=HaTa97ccZKc

Van Hout, T., Pander Maat, H., & De Preter, W. (2011). Writing from news sources: The case of Apple TV. Journal of Pragmatics, 43(7), 1876–1889. https://doi.org/10.1016/j.pragma.2010.09.024

Vraga, E. K., & Jacobsen, K. H. (2020). Strategies for effective health communication during the coronavirus pandemic and future emerging infectious disease events. World Medical & Health Policy, 12(3), 233–241. https://doi.org/10.1002/wmh3.359

World Health Organization. (2020). Covid-19: Global risk communication and community engagement strategy. https://www.who.int/publications/i/item/covid-19-global-risk-communication-and-community-engagement-strategy

Publicado

2021-12-20

Como Citar

Lopes, F., Araújo, R., & Magalhães, O. (2021). Covid-19: Uma Pandemia Gerida Pelas Fontes Oficiais Através de uma Comunicação Política. Comunicação E Sociedade, 40, 17-32. https://doi.org/10.17231/comsoc.40(2021).3520

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2