Migrantes, refugiados e outrização: construindo a europeidade. Uma exploração dos média portugueses e alemães

Autores

  • Rita Himmel Centro de Línguas, Literaturas e Culturas, Departamento de Línguas e Culturas, Universidade de Aveiro, Portugal https://orcid.org/0000-0003-1658-2087
  • Maria Manuel Baptista Centro de Línguas, Literaturas e Culturas, Departamento de Línguas e Culturas, Universidade de Aveiro, Portugal https://orcid.org/0000-0002-1465-4393

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.38(2020).2582

Palavras-chave:

crise dos refugiados, Europa, discursos mediáticos, alteridade

Resumo

O processo de instituição da União Europeia supranacional foi acompanhado por uma construção de uma ideia de europeidade (Geary, 2013; Pieterse, 1991/1993), de pertencer a um nós, criando uma ideia de quem somos, enquanto europeus, e, necessariamente, da outrização dos que não pertencem (Butler & Spivak, 2007; El-Tayeb, 2011). A chamada “crise dos refugiados/migratória” é um contexto particularmente interessante para explorar discursos não apenas sobre esta divisão entre nós e eles, em relação aos que são apresentados como não-europeus, mas também sobre a construção do que somos nós, europeus. Os média desempenham um papel crucial na reprodução de representações sobre os outros, com quem o público não tem contacto direto. Neste artigo, exploramos discursos, nos média portugueses e alemães, de 2011 a 2017, sobre a chamada “crise dos refugiados/migratória”. Através de uma análise qualitativa de conteúdo, procuramos compreender como é construída a ideia de europeidade em relação a este fenómeno. Esta análise exploratória permitiu identificar que não existe apenas uma construção da ideia da Europa, na qual os migrantes ou refugiados são o outro, mas também uma ideia da Europa intrinsecamente incompatível com a rejeição desse outro, incompatível com ideias e movimentos de extrema direita ou xenófobos. Ser europeu, portanto, é ser não-muçulmano, ser não-refugiado, e ser não-xenófobo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Anderson, B. (1983/2016). Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. Londres, Brooklyn: Verso.

Bardin, L. (2007). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bird, S. E. & Dardenne, R. W. (1999). Mito, registo e “estórias”: explorando as qualidades narrativas nas notícias. In N. Traquina (Ed.), Jornalismo: questões, teorias e “estórias” (pp. 263-277). Lisboa: Vega.

Butler, J. & Spivak, G. C. (2007). Who sings the nation-state? Londres, Nova Iorque, Calcutta: Seagull Books.

Chomsky, N. (1997). What makes mainstream media mainstream. Retirado de chomsky.info/199710

El-Tayeb, F. (2011). European others: queering ethnicity in postnational Europe. Minneapolis: University of Minnesota Press.

European Union. (2020). MEPs. European Parliament. Retirado de https://www.europarl.europa.eu/meps/en/search/Tabela

Frow, J. & Morris, M. (2006). Estudos Culturais. In N. K. Denzin & Y. S. Lincoln (Eds.), O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens (2.ª ed.) (pp. 315-343). Porto Alegre: Artmed.

Geary, P. J. (2013). A Europe of nations. Or the nation of Europe: origin myths past and present. Lusophone Journal of Cultural Studies, 1(1), 36-49. https://doi.org/10.21814/rlec.5

Gossel, D. (2017). Tabloid journalism. Encyclopaedia Brittanica. Retirado de www.britannica.com/topic/tabloid-journalism

Hall, S. (1993). Encoding, decoding. In S. During (Ed.), The cultural studies reader (pp. 90-103). Londres, Nova Iorque: Routledge.

Hall, S., Critcher, C., Jefferson, T., Clarke, J. & Roberts, B. (1978). Policing the crisis: mugging, the state, and law and order. Londres: MacMillan.

Marktest. (2018). Ranking netscope de tráfego web dezembro 2017. Retirado de https://www.marktest.com/wap/a/n/id~233c.aspx

Nawyn, S. J. (2018). Refugees in the United States and the politics of crisis. In C. Menjívar; M. Ruiz & I. Ness (Eds.), The Oxford handbook of migration crises. https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780190856908.013.23

Partido Nacional Renovador (2009, 2 de dezembro). Criação da “Aliança dos movimentos nacionais europeus”. Retirado de http://www.pnr.pt/2009/12/roma-criacao-da-alianca-dos-movimentos-nacionais-europeus/

Pieterse, J. N. (1991/1993). Fictions of Europe. In A. Gray & J. McGuigan (Eds.), Studying culture: an introductory reader (pp. 225-231). Londres: Edward Arnold.

Schröder, J. (2018, 09 de janeiro). IVW-News-Top-50: Bild, upday, Welt und stern wachsen trotz Feiertagen gegen den Trend. Meedia. Retirado de https://meedia.de/2018/01/09/ivw-news-top-50-bild-upday-welt-und-stern-wachsen-trotz-feiertagen-gegen-den-trend/

Publicado

2020-12-23

Como Citar

Himmel, R., & Baptista, M. M. (2020). Migrantes, refugiados e outrização: construindo a europeidade. Uma exploração dos média portugueses e alemães. Comunicação E Sociedade, 38, 179-200. https://doi.org/10.17231/comsoc.38(2020).2582