A Identidade cultural Portuguesa: do colonialismo ao pós-colonialismo: memórias sociais, imagens e representações identitárias

Autores

  • Maria Manuel Baptista Departamento e Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro e CECS- Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.24(2013).1788

Palavras-chave:

Identidade, cinema, colonialismo, descolonização, pós-colonialismo

Resumo

A presente reflexão pretende analisar as relações entre memória e identidade de portugueses colonialistas em África, tal como foram sendo representadas no cinema português até ao final do século XX. Escolhemos cinco dos que nos pareceram os exemplos mais ilustrativos (três longas-metragens de ficção e duas comédias) que representam de forma diversa o modo como os portugueses se foram representando identitariamente, enquanto ‘agentes civilizadores’ de povos africanos. Com efeito, podemos considerar que a identidade cultural do português em África, tal como ela é representada no cinema português durante o século XX, passa por três momentos distintos: uma primeira fase, que designaremos por ‘A invenção de um Império’, uma segunda fase, que intitulamos ‘Um colonialismo à portuguesa’, e um último momento que, genericamente, designarmos com a expressão ’Exilados de sítio nenhum’. Na parte final deste estudo discutiremos a possibilidade de compreensão das memórias e identidades coloniais e pós-coloniais, a partir de uma gama muito diversa de modalidades relacionais entre o Eu e o Outro, as quais exigem a contínua (re)construção de memórias e identidades, num quadro de exercício de liberdade individual e coletiva: uma tarefa de Sísifo, infinita por natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2014-04-30

Como Citar

Baptista, M. M. (2014). A Identidade cultural Portuguesa: do colonialismo ao pós-colonialismo: memórias sociais, imagens e representações identitárias. Comunicação E Sociedade, 24, 270-287. https://doi.org/10.17231/comsoc.24(2013).1788