Comunicação low-cost: desinvestimento ou fórmula de sucesso?

  • Carla Pereira Universidade do Minho
  • António Azevedo Universidade do Minho
  • Teresa Ruão Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho, Braga
Palavras-chave: low-cost, agências, relação agência-cliente, posicionamento, comunicação, vantagem competitiva, criatividade

Resumo

O termo low-cost invadiu o nosso quotidiano. Começou com as companhiasde aviação, mas rapidamente se estendeu às telecomunicações, à moda, aos hotéis, aosautomóveis, e o conceito não pára de se replicar. Particularmente numa conjuntura económicadesfavorável como a que atravessamos, os consumidores estão mais sensíveis aopreço e há empresas que respondem com cortes nos seus custos para oferecerem soluçõesmais baratas. Mas a “democratização” que este conceito permite e a globalizaçãoa que assistimos talvez sejam uma ilusão. Com este trabalho pretendemos contribuirpara o estudo do mercado português da comunicação, analisando a forma de actuaçãodas agências nacionais.Nesse sentido, propomo-nos reflectir sobre o conceito low-cost no mercado dacomunicação, a filosofia das agências que adoptam este posicionamento, o tipo de serviçoprestado e de que forma sustentam a sua vantagem competitiva. Com o presenteestudo empírico, consultámos as microempresas e PME nacionais para percebermos areceptividade das empresas portuguesas às agências de comunicação low-cost.Desta forma, procuraremos concluir se em Portugal comunicação low-cost é sinónimode desinvestimento ou uma fórmula de sucesso.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2011-10-09
Como Citar
Pereira, C., Azevedo, A., & Ruão, T. (2011). Comunicação low-cost: desinvestimento ou fórmula de sucesso?. Comunicação E Sociedade, 19, 77-96. https://doi.org/10.17231/comsoc.19(2011).899
Secção
Das práticas aos discursos: usos e representações