A liberdade académica e os seus inimigos

Autores

  • Moisés de Lemos Martins Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.27(2015).2109

Palavras-chave:

Universidade, modernidade, vocação e missão universitárias, avaliação de desempenho, governação da universidade, liberdade académica

Resumo

Em nome da certificação da ‘qualidade’ e da ‘excelência’, a Universidade parece hoje condenada a celebrar apenas procedimentos, que no ensino e na investigação certificam rotinas e conformidades, eficiências e utilidades, confirmando a hegemonia da razão instrumental. É meu propósito, neste ensaio, todavia, refletir sobre a liberdade académica na universidade. Esta questão impõe que façamos recair a nossa interrogação sobre a natureza da própria universidade, sobre a profissão académica, e também sobre a sua vocação e missão. O que é, hoje, a universidade? Que forças a atravessam? Que abalos tem sofrido? A que ameaças está sujeita? Que contradições são as suas? Com que exigências se confronta? Que respostas têm que ser as suas?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-06-29

Como Citar

Martins, M. de L. (2015). A liberdade académica e os seus inimigos. Comunicação E Sociedade, 27, 405-420. https://doi.org/10.17231/comsoc.27(2015).2109

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>