Isto é um jogo de vídeo: jogos de vídeo, autoridade e metacomunicação

  • Riccardo Fassone Università degli Studi di Torino, Dipartimento di Studi Umanistici
Palavras-chave: Bateson, autoridade, processualidade, regras, metacomunicação

Resumo

Gregory Bateson defende que todos os atos do jogo devem ser compreendidos sobretudo como sendo metacomunicativos. Por outras palavras, jogar um jogo pressupõe ser capaz de transmitir e de receber a metamensagem “isto é um jogo”, que define um enquadramento psicológico entre os jogadores. Neste trabalho, proponho uma leitura radical da teoria de Bateson no contexto dos jogos de vídeo. Em particular, procuro analisar as características, as especificidades e as implicações da mensagem “isto é um jogo de vídeo”. Irei argumentar que a linguagem específica através da qual os jogos de vídeo veiculam esta mensagem é a das suas regras, as limitações inevitáveis colocadas pela sua natureza computacional e digital. Por outras palavras, jogar um jogo de vídeo é sempre, pelo menos até determinado nível, jogar um jogo de metacomunicação com, contra e em termos das regras predefinidas do jogo de vídeo. Finalmente, proponho uma leitura atenta do jogo Papers, Please para argumentar que o trabalho de Pope se imbui de uma leitura significativa da reflexividade inerente dos jogos de vídeo, retratando intencionalmente a sua natureza oficial e o seu potencial comunicativo.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2015-06-29
Como Citar
Fassone, R. (2015). Isto é um jogo de vídeo: jogos de vídeo, autoridade e metacomunicação. Comunicação E Sociedade, 27, 19-35. https://doi.org/10.17231/comsoc.27(2015).2086
Secção
Comunicação, Teoria dos Videojogos e Diálogos (Inter)Mediáticos