Uma modernidade-outra ou o hipermoderno

Autores

  • Samuel Mateus Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.18(2010).992

Palavras-chave:

Hipermodernidade, modernidade e pós-modernidade, presente, imediatez, hyperion

Resumo

A contemporaneidade vive, ainda, sob o espectro da modernidade, seja como ruptura – exemplificada pela pós modernidade – seja como amadurecimento – exemplificado pelos diversos prefixos que se acoplam à “modernidade” para indicar a continuidade do seu projecto. Este artigo visa discutir a experiência do nosso tempo a partir da perspectiva de uma modernidade-outra mas modernidade ainda: a hipermodernidade. Em contraste com o projecto pós-moderno, a posição hipermoderna considera que nem todas as grandes narrativas modernas entraram em colapso. O que observamos é uma superlativização da modernidade com todas as implicações aí contidas. A inquietação, a incerteza e o risco surgem como consequências de o homem hipermoderno não dispor senão dos fundamentos imanentes à sua própria experiência e reflexividade. Daí o papel central do presente como a temporalidade a partir da qual as sociedades ocidentais contemporâneas se organizam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-30

Como Citar

Mateus, S. (2010). Uma modernidade-outra ou o hipermoderno. Comunicação E Sociedade, 18, 133-145. https://doi.org/10.17231/comsoc.18(2010).992

Edição

Secção

Novas tecnologias, Média e comunicação