A mediação dialógica como instrumento para promover a saúde e coesão sociais: resultados e direções

Autores

  • Gian Piero Turchi Università di Padova
  • Michele Romanelli Università di Padova

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.0(2019).3064

Palavras-chave:

Comunidade, interação dialógica, mediação dialógica, saúde, coesão social

Resumo

Um dos principais desafios na Europa é focar a atenção nas políticas públicas capazes de promover e manter a coesão social. Podemos ver como a interação entre diferentes sistemas culturais pode erradicar as diferenças. Uma vez que essas diferenças são assumidas como a caracterização e a identificação dos elementos de grupos sociais específicos, elas também podem causar conflitos na comunidade. Este artigo visa descrever os elementos que permitem a implementação da mediação nas políticas sociais. Será proposto um modelo operacional, tanto para usar em situações de emergência, como de antecipação de conflitos, em todos os níveis nos quais o conflito possa, por si, ser gerado ou desenvolvido: este modelo será denominado “Mediação dialógica” (Turchi & Gherardini, 2014). Este modelo trabalha com as partes interessadas não só de forma direta, mas também através de todas as “vozes” que possam estar envolvidas nas repercussões que o conflito possa gerar (e, como consequência, com toda a comunidade). É aqui que a mediação pode ser oferecida como um instrumento de política pública para a gestão da interação dialógica entre a “comunidade imigrante” e a “comunidade de acolhimento”, antecipando os conflitos e apoiando uma interação como “comunidade única”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-05-28

Como Citar

Turchi, G. P., & Romanelli, M. (2019). A mediação dialógica como instrumento para promover a saúde e coesão sociais: resultados e direções. Comunicação E Sociedade, 119-129. https://doi.org/10.17231/comsoc.0(2019).3064