A ideologia do consumo na moda: uma visão diacrónica

Autores

  • Maria Gama Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), Universidade do Minho, Braga

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.24(2013).1784

Palavras-chave:

Modernidade, paradigma, desejo, consumo

Resumo

O presente artigo procura explorar a ideologia do consumo (em particular do consumo de moda) de forma diacrónica.
Começamos por reflectir acerca da génese e desenvolvimento de um novo paradigma de consumo na sua interdependência com a infraestrutura urbana, abordando um dos seus marcos cruciais: as alterações que Paris sofreu do ponto de vista arquitetónico no século XIX, pelas mãos de Haussmann, e a emergência dos grandes armazéns.
De seguida, incidimos a nossa reflexão sobre um outro aspecto fundamental — o aparecimento dos shopping centers na Europa, sendo estes considerados aqui universos imaginários. Discutimos igualmente a ideologia de consumo, impulsionada pelo centro comercial, à luz das transformações provocadas pela aceleração do consumo e pelo fenómeno fast-fashion. Destacamos ainda a nova ordem da incorporação das marcas de moda em grupos económicos que alteraram as regras do mercado à escala global e, finalmente, nas novas catedrais de consumo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Maria Gama, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), Universidade do Minho, Braga

CECS

##submission.downloads##

Publicado

2014-04-30

Como Citar

Gama, M. (2014). A ideologia do consumo na moda: uma visão diacrónica. Comunicação E Sociedade, 24, 210-220. https://doi.org/10.17231/comsoc.24(2013).1784

Edição

Secção

Corpos, Identidade, Moda, Sustentabilidade e Mercado