Racionalidade política no jornalismo de saúde: o papel das fontes na construção da relação entre a obesidade e a pobreza no jornal brasileiro Folha de São Paulo

Autores

  • Monica Carvalho Universidade Católica Portuguesa – Instituto de Bioética

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.23(2012).1356

Palavras-chave:

Jornalismo de saúde, obesidade, pobreza, Brasil, política

Resumo

Nas últimas décadas a obesidade tornou-se uma das maiores preocupações na saúde pública. A OMS prevê que em 2015 haverá setecentos milhões de adultos obesos em todo o mundo. Este cenário se reflete na produção das notícias, em particular no modo como os média continuamente ressaltam o problema da obesidade. No Brasil, há cerca de duas décadas, a obesidade tem registado um aumento significativo na população; e parte desse aumento se dá entre os mais pobres. Logo, a pobreza, outrora vinculada à fome e ao baixo peso, é agora uma das faces da obesidade no país. Este trabalho foi feito a partir da análise de todas as notícias produzidas entre 1996 e 2005 que relacionavam a obesidade à pobreza no jornal brasileiro Folha de São Paulo. O estudo das 65 peças revelou um tema fortemente atravessado por disputas de ordem política, em especial entre 2003 e 2005, quando foram encontradas 48 peças sobre esta temática. Neste artigo, pretende-se observar como as fontes promoveram a construção da relação entre a obesidade e a pobreza nos média, de modo a legitimar certa racionalidade política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-01-10

Como Citar

Carvalho, M. (2012). Racionalidade política no jornalismo de saúde: o papel das fontes na construção da relação entre a obesidade e a pobreza no jornal brasileiro Folha de São Paulo. Comunicação E Sociedade, 89-105. https://doi.org/10.17231/comsoc.23(2012).1356