A globalização disseminou-se e é mais dissimulada e eficaz. A mudança passa por inverter a invisibilidade dos mais desfavorecidos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.38(2020).2525

Resumo

No final de 2019, para assinalar os 20 anos da publicação de Império, os seus autores, Michael Hardt (académico) e Antonio Negri (filósofo e ativista político, tendo estado preso por alegadamente pertencer às Brigadas Vermelhas), escreveram um ensaio na New Left Review, onde olham para as diferenças entre as épocas e analisam a forma como o processo de globalização se desenvolveu. O livro, pode afirmar-se, mantém-se atual na sua ideia-chave, já que a globalização continua, cada vez mais, a pontuar a ordem mundial. O seu desenvolvimento é mais dissimulado e, por conseguinte, mais eficaz. As forças de dominação e o controlo da ordem global de forma alguma diminuíram, apesar da posição muitas vezes histriónica dos ideólogos da soberania nacional...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bayly, C. (2004). The birth of the modern world, 1780-1914: global connections and comparisons. Oxford: Blackwell.

Borges, L. (2020, 10 de fevereiro). Um grupo torna-se sempre mais unido se tiver algo para odiar. Entrevista a Fathali Moghaddam, professor de Psicologia na Universidade de Georgetown. Público, pp. 10-11.

Foucault, M. (1977). A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal.

Han, B.-C. (2016). O aroma do tempo. Lisboa: Relógio d’Água.

Han, B.-C. (2018). A expulsão do outro. Lisboa: Relógio d’Água.

Hardt, M. & Negri, A. (2019). Empire, twenty years on. New Left Review, 120, 67-92.

Hartog, F. (2003). Regimes d’Historicité: presentisme et experiences du temps. Paris: Seuil.

Publicado

2020-12-23

Como Citar

Sousa, V. de. (2020). A globalização disseminou-se e é mais dissimulada e eficaz. A mudança passa por inverter a invisibilidade dos mais desfavorecidos. Comunicação E Sociedade, 38, 265-271. https://doi.org/10.17231/comsoc.38(2020).2525

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)