Da Partilha à Acção Colectiva dos Cidadãos: O contributo dos Novos Media no apelo à dádiva de Medula Óssea

Autores

  • Nuno Duarte Martins IPCA e Universidade do Porto
  • Heitor Alvelos IPCA e Universidade do Porto
  • Daniel Brandão IPCA e Universidade do Porto

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.22(2012).1279

Resumo

O contributo das redes sociais na luta contra o cancro tem sido conhecida, especial- mente, pelo sucesso de movimentos de cidadãos com o objectivo de sensibilizar a sociedade portuguesa para a dádiva de medula óssea. Este tipo de campanhas solidárias, com o apoio dos Novos Media, foi um fenómeno iniciado em 2009 e tem vindo a desenvolver-se, sobretudo, no Facebook. Desde então, novos movimentos têm aparecido regularmente nesta rede social e aju- dado a um aumento significativo do registo de dadores.

Interessa-nos perceber como se desenvolvem este tipo de campanhas e que factores, contribuíram para o seu sucesso, procurando averiguar não só o poder da Web 2.0, mas também questões sobre a comunicação, a imagem e os media. O sucesso destes movimentos vai muito além da simples presença no Facebook. A análise global do sistema de comunicação é funda- mental para compreender o diferente nível de sucesso atingido por cada movimento.

No presente artigo, fazemos uma análise comparativa entre os principais movimentos de cidadãos, ocorridos entre 2009 e 2011, que comprova as supracitadas hipóteses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-15

Como Citar

Martins, N. D., Alvelos, H., & Brandão, D. (2012). Da Partilha à Acção Colectiva dos Cidadãos: O contributo dos Novos Media no apelo à dádiva de Medula Óssea. Comunicação E Sociedade, 22, 148-165. https://doi.org/10.17231/comsoc.22(2012).1279

Edição

Secção

Participação e Comunidades