A linguagem dos objectos e a criação de significação no espaço doméstico - um reportório de afectos

Autores

  • Carolina Leite Departamento de Ciências da Comunicação, Universidade do Minho, Braga

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.2(2000).1395

Resumo

O papel desempenhado pelos objectos na criação do espaço doméstico sugere que os consideremos como extensões do próprio indivíduo e, neste sentido, sujeitos a um processo de familiarização. Sem inviabilizar os critérios de distinção associados às práticas de consumo que os objectos asseguram enquanto mecanismos de classificação social- e é sob este ângulo que a Sociologia tem concentrado o seu olhar sobre os objectos - procuramos aqui salientar uma outra dimensão a que estes também respondem, na sua qualidade de «arquivo de memórias», Nesta medida, os objectos asseguram um papel relevante de identificação dos indivíduos consigo próprios. Tratando-se de dispositivos com forte poder evocativo, permitindo a cada um de nós reconstituir o seu mapa de memórias, afectos e segredos, os objectos participam activamente nos mecanismos de apropriação que actualizam, em permanência, a relação dos indivíduos com a sua parte visível do «cosmos», que é o universo doméstico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2000-01-28

Como Citar

Leite, C. (2000). A linguagem dos objectos e a criação de significação no espaço doméstico - um reportório de afectos. Comunicação E Sociedade, 2, 205-216. https://doi.org/10.17231/comsoc.2(2000).1395

Edição

Secção

Linguagem e interacção social