Inventando corpos

Autores

  • Ieda Tucherman Escola de Comunicação cia Universiclade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.3(2001).1325

Resumo

Considerando que o corpo humano é talvez o conceito mais longevo da tradição cultural ocidental, e, entendendo que é uma construção realizada pela «função espelho» da CUltura, que gerava assim uma forma totalizável, onde não se misturavam elementos de diferente natureza, as hibridizações sendo o campo dos monstros, pretendemos pensar neste artigo as novas considerações para o nosso corpo protético, como a experiência contemporânea mais radical, que põe em questão as formulações que nos configuravam como humanos. Para tanto buscamos apoio nas novas descobertas da ciência,nomeadamente da engenharia genética, e de certos movimentos da arte, especialmente a chamada «body art».

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2001-01-17

Como Citar

Tucherman, I. (2001). Inventando corpos. Comunicação E Sociedade, 3, 221-232. https://doi.org/10.17231/comsoc.3(2001).1325

Edição

Secção

Consequências estéticas e culturais