Sobre o “Jardim das Delícias” como modelo de análise dos processos de comunicação intercultural

Autores

  • Lurdes Macedo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.31(2017).2614

Palavras-chave:

Comunicação intercultural, desfragmentação da memória, globalização

Resumo

A observação do tríptico “Jardim das Delícias”, de Hieronymus Bosch constitui o ponto de partida para um curto ensaio sobre a possível interpretação desta obra por parte do seu último comprador, Filipe II de Espanha. Por sua vez, este ensaio conduz à proposta de um modelo, baseado em três categorias de análise, para a interpretação crítica do percurso global que a humanidade tem vindo a trilhar desde o início das grandes navegações intercontinentais, inicialmente levadas a cabo por portugueses e espanhóis. O modelo proposto pretende constituir um contributo para a desfragmentação da memória de um longo processo marcado pela tensão entre forças hegemónicas e dinâmicas de interculturalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2017-06-29

Como Citar

Macedo, L. (2017). Sobre o “Jardim das Delícias” como modelo de análise dos processos de comunicação intercultural. Comunicação E Sociedade, 31, 225-238. https://doi.org/10.17231/comsoc.31(2017).2614

Edição

Secção

Artigos temáticos