Controlo e Descontrolo do Imaginário

Autores

  • José A. Bragança de Miranda Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.4(2002).1264

Resumo

Neste texto procura-se determinar a natureza do imaginário, distinguindo-o da imaginação. A tese principal é que o imaginário se torna numa noção central quando o mundo das imagens entra em descontrolo, descentrando-se e fragmentando-se. Trata-se também de apreender a relação do imaginário com o mundo da máquina. A hipótese colocada pelo texto é a de que o descontrolo do imaginário implica uma nova forma de controlo, que passa pela absolutização de imagens particulares, tornadas fatais e performativas, quando agenciadas maquinicamente, para logo se desfazerem, e se reatarem, num pulular incessante, mas eficiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2013-01-16

Como Citar

Miranda, J. A. B. de. (2013). Controlo e Descontrolo do Imaginário. Comunicação E Sociedade, 4, 49-72. https://doi.org/10.17231/comsoc.4(2002).1264

Edição

Secção

Comunicação e imaginário