Ambiências climatológicas urbanas: pensar a cidade pós-moderna

Autores

  • Fabio La Rocca CEAQ - Centre d´Études sur l´Actuel et le Quotidien, Paris-Descartes, Sorbonne

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.18(2010).994

Palavras-chave:

Paradigma, cidade, pós-modernidade, climatologia

Resumo

Aplicaremos a hipótese kuhniana da revolução científica à cidade. Mostraremos assim que é preciso ficarmos atentos à constante evolução das formas e maneiras de experienciar os espaços citadinos. A cidade já não pode ser pensada numa óptica rudimentar, de ordem funcionalista, típica do modernismo. Antes pelo contrário, pretendemos, à semelhança dos pós-modernistas, exprimir as oscilações do clima urbano e das ambiências quotidianas. A noção de climatologia afigura-se, de forma similar à dos meteorologistas, como sendo necessária para determinar o clima do presente nos lugares da paisagem urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-30

Como Citar

La Rocca, F. (2010). Ambiências climatológicas urbanas: pensar a cidade pós-moderna. Comunicação E Sociedade, 18, 157-164. https://doi.org/10.17231/comsoc.18(2010).994

Edição

Secção

Cidades, identidades e tribalismo