Nota sobre o processo de exteriorização da técnica: o lugar da interacção homem-computador

Autores

  • António Machuco Rosa Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.12(2007).1095

Palavras-chave:

Filosofia da técnica, computação, interacção homem-computador

Resumo

Este artigo apresenta a hipótese acerca da emergência da técnica como um processo de exteriorização do orgânico, tendo como objectivo situar, no conjunto das técnicas possíveis, a computação em geral e a interacção homem-computador em particular. O ponto de partida é dado pela teoria da alienação primitiva de R. Thom e pela libertação do corpo e do cérebro de Leroi-Gourhan. Sustenta-se de seguida que a exteriorização do homem num outro de si próprio, na linha do projecto da inteligência artificial e da robótica evolutiva, significa uma alteração fundamental na relação entre homem e técnica. No entanto, não é esse o único modo de encarar as possibilidades tecnológicas abertas pela computação, argumentando-se que a interacção homem-computador representa um regresso à concepção clássica da técnica como actividade que tem o homem como seu centro e finalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-19

Como Citar

Rosa, A. M. (2007). Nota sobre o processo de exteriorização da técnica: o lugar da interacção homem-computador. Comunicação E Sociedade, 12, 39-49. https://doi.org/10.17231/comsoc.12(2007).1095

Edição

Secção

Pensar a técnica hoje