Plataformas online de participação cidadã: meta-síntese e avaliação crítica de seus impactos sociais e políticos

Palavras-chave: democracia, meta-síntese, plataformas online, participação política, revisão sistemática de literatura (RSL)

Resumo

Com o desenvolvimento tecnológico e comunicacional dos últimos anos, as plataformas online começaram a ser criadas tanto por governantes quanto por setores da sociedade civil com a promessa de aumentar o engajamento civil. Apesar do entusiasmo das discussões sobre o tema em diferentes esferas, pouco se sabe sobre as reais possibilidades de participação online e sua efetividade no processo de tomada de decisão política. Este artigo propõe uma análise crítica sobre as iniciativas online de participação cidadã, suas características e consequências sociais e políticas. São realizadas duas revisões sistemáticas de literatura (RSL) sobre estudos de casos no mundo e no Brasil, usando a base de dados Web of Science, Scopus e DOAJ, entre 1995 e 2015. Os resultados das duas RSL são comparados e 179 plataformas são classificadas de acordo com o novo modelo de análise proposto, mensurando a participação política e o impacto decisório de cada plataforma online estudada. Os principais resultados sugerem um crescimento significativo de plataformas de participação no Brasil e mundo, porém com efeitos mais retóricos do que práticos: a maioria das iniciativas são promovidas por portais de governo eletrônico no modelo descendente, com pouca ou nenhuma influência no processo decisório real. Conclui-se que o poder – e não a tecnologia – é o principal entrave para a efetiva participação cidadã online, cujas barreiras são cultivadas por uma elite política tradicional pouco interessada na construção de uma democracia transparente, inclusiva e colaborativa. Sugere-se uma nova agenda de pesquisa voltada para a elaboração de indicadores de transparência das informações públicas, o desenvolvimento de métodos para a mensuração do impacto social e político das iniciativas governamentais e o investimento em pesquisas empíricas sobre iniciativas da sociedade civil que possam revelar soluções para os problemas, os efeitos colaterais e as contradições inerentes à participação política online.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.

Referências

Abreu, J. C. & Pinho, J. A. (2014). Sentidos e significados da participação democrática através da internet: uma análise da experiência do Orçamento Participativo Digital. Revista Administração Pública, 48(4), 821-846.

Arnstein, S. R. (1969). A ladder of citizen participation. JAIP, 35(4), 216-224.

Balla, S. J. (2012). Information technology, political participation and the evolution of Chinese policymaking. Journal of Contemporary China, 21(76), 655-673. https://doi.org/10.1080/10670564.2012.666835

Balla, S. J. (2014). Health system and political participation on the Chinese internet. China Information, 28(2), 214-236.

Brereton, O., Kitchenham, B. A., Budgen, D., Turner, M. & Khalil, M. A. (2007). Lessons from applying the systematic literature review process within the software engineering domain. Journal of Systems and Software, 80(4), 571-583. https://doi.org/10.1016/j.jss.2006.07.009

Cunha V. C., Coelho, T. R. & Pozzebon, M. (2014). Internet e participação: o caso do orçamento participativo digital de Belo Horizonte. Revista de Aministração de Empresas, São Paulo, 54(3), 296-308. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-759020140305

Desouza, K. C & Bhagwatwar, A. (2014). Technology-enabled participatory platforms for civic engagement: the case of U.S. Cities. Journal of Urban Technology, 21(4), 25-50. https://doi.org/10.1080/10630732.2014.954898

Freitas, C. S., Lima, F. F. & Lima, F. Q. (2015). Os desafios ao desenvolvimento de um ambiente para participação política digital: o caso de uma comunidade virtual legislativa do projeto e-democracia no Brasil. O&S - Salvador, 22(75), 639-658.

Gibson, R. (2001). Elections online: assessing internet voting in light of the Arizona democratic primary. Political Science Quarterly, 116(4), 561-583.

Gomes, W. (2005). Internet e participação política em sociedades democráticas. Revista Flamecos, 12(27), 58-78.

Hung, C. (2003). Public discourse and “virtual” political participation in the PRC: the impact of the internet. Issues & Studies, 39(4), 1-38.

Jardim, J. M. (2000). Capacidade governativa, informação, e governo eletrônico. DataGramaZero, 1(5).

Jiang, M. & Xu, H. (2009). Exploring online structures on Chinese government portals. Citizen political participation and government legitimation. Social Science Computer Review, 27(2), 174-195. https://doi.org/10.1177/0894439308327313

Klein, H. (1999). Tocqueville in cyberspace: using the internet for citizen associations. The Information Society, 15, 213-220. https://doi.org/10.1080/019722499128376

Liste, L. & Sorensen, K. H. (2015). Consumer, client or citizen? How Norwegian local governments domesticate website technology and configure their users. Information, Communication and Societ, 18(7), 733-746. https://doi.org/10.1080/1369118X.2014.993678

Loveland, M. T. & Popescu, D. (2011). Democracy on the web. Information, Communication & Society, 14(5), 684-703. https://doi.org/10.1080/1369118X.2010.521844

Mambrey, P., Neumann, H. & Sieverdingbeck, K. (1999). Bridging the gap between Parliament and citizen – the internet services of the German Bundestag. Parliamentary Affairs, 52(3), 480-492.

Marques, P. J. A. (2010). “Muro baixo, o povo pula”: iniciativas institucionais de participação digital e seus desafios fundamentais. Opinião Pública, 16(1), 117-142.

Mendonça, R. F. & Amaral, F. de L. (2014). Deliberação online em consultas públicas? O caso da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Revista de Sociologia Política, 22(49), 177-203.

Miola, E. (2009). A deliberação online em ambientes institucionais. Um estudo do fórum de discussão do portal da Câmara dos Deputados. Contemporanea, 7(2), 1-24. http://dx.doi.org/10.9771/1809-9386contemporanea.v7i2.3640

Musso, J. A., Weare, C. & Hale, M. C. (2000). Designing web technologies for local governance reform: good management or good democracy? Political Communication, 17(1), 1-19. https://doi.org/10.1080/105846000198486

Nye, E, Melendez-Torres, G. & Bonell, C. (2016). Origins, methods, and advances in qualitative metasynthesis. Review of Education, 4(1), 57-79. https://doi.org/10.1002/rev3.3065

Oliveira, R. S. & Rodegheri, L. B. (2012). Ciberdemocracia: análise dos desafios e possibilidades de iniciativa popular via internet no Brasil. Sociedade e Cultura, 15(1), 121-133.

Packer, A. (2014, 5 de novembro). A visibilidade dos periódicos do Brasil [Post em blogue]. Retirado de https://blog.scielo.org/blog/2014/11/05/a-visibilidade-dos-periodicos-do-brasil/#.XEvAb1xKj

Penteado, C. L. C., Santos, M. B. P. & Araújo, R. de P. A. (2014). Democracia, sociedade civil organizada e internet: estratégias de articulação online da Rede Nossa São Paulo. Sociologias, 16(36), 206-235.

Pickard, V. (2008). Cooptation and cooperation: institutional exemplars of democratic internet technology. New Media & Society, 10(4), 625-645. https://doi.org/10.1177/1461444808093734

Pinho, J. A. G. (2008). Investigando portais de governo eletrônico de estados no Brasil: muita tecnologia, pouca democracia. Revista de Administração Pública, 42(3), 471-93.

Polat, R. K. & Pratchett, L. (2014). Citizenship in the age of the internet: a comparative analysis of Britain and Turkey. Citizenship Studies, 18(1), 63-80. https://doi.org/10.1080/13621025.2013.780765

Prieto-Martin, P. (2010). Las alas de Leo: la participación ciudadana del siglo XX. Madrid: Bubok.

Ribeiro, L. C. Q., Costa, A. S., Costa, L. & Ribeiro, M. G. (2013). Desigualdades digitais: acesso e uso da internet, posição socioeconómica e segmentação espacial nas metrópoles brasileiras. Análise Social, 207, 288-320.

Rossini, P. G. C. (2014). O papel do cidadão nas ferramentas de democracia digital no Brasil: uma análise do desenho interativo das comunidades legislativas do portal E-Democracia. Revista Compolítica, 2(4), 112-134.

Sampaio, R. C. (2012). Quão deliberativas são discussões na rede? Um modelo de apreensão da discussão online. Revista Sociologia Política, 20(42), 121-139.

Sampaio, R. C., Maia, R. C. M. & Marques, P. J. A. (2010). Participação e deliberação na internet: Um estudo de caso do orçamento participativo digital de Belo Horizonte. Opinião Pública, 16(2), 446-477.

Sani, G. (2004). Verbete “participação política”. In N. Bobbio, N. Matteucci, G. Pasquino, Dicionário de política (p. 954). Brasília: Editora UNB.

Saylan, I. (2009). Internet: “a gateway to democracy? A comparative analysis of Turkish and Italian e-government experiences”. Amme İdaresi Dergisi, 42(3), 141-162.

Shen, F. & Liang, H. (2015). Cultural difference, social values, or political systems? Predicting willingness to engage in online political discussion in 75 societies. International Journal of Public Opinion Research, 27(1), 111-124.

Silva, S. P. (2005). Graus de participação democrática no uso da internet pelos governos das capitais brasileiras. Opinião Pública, 11(2), 450-468.

Smyth, E. (2001). Would the internet widen public participation? Dissertação de Mestrado, Universidade de Leeds, Leeds, Reino Unido.

Solop, F. I. (2001). Digital democracy comes of age: internet voting and the 2000 Arizona democratic primary election. PS: Political Science & Politics, 34(2), 289-293. https://doi.org/10.1017/S104909650100052X

Stanley, J. W. & Weare, C. (2004). The effects of internet use on political participation – evidence from an agency online discussion forum. Administration & Society, 36(5), 503-527. https://doi.org/10.1177/0095399704268503

Steinmann R., Krek A. & Blaschke T. (2005). Can online map-based applications improve citizen participation? In M. Böhlen, J. Gamper, W. Polasek & M. A. Wimmer (Eds.), E-Government: Towards Electronic Democracy. TCGOV 2005. Lecture Notes in Computer Science, vol 3416 (pp. 25-35). Berlim: Springer.

Strandberg, K. (2008). Public deliberation goes on-line? An analysis of citizens’ political discussions on the internet prior to the Finnish parliamentary elections in 2007. Javnost – The Public, 15, 71-89.

Tettey, W. J. (2001). Information technology and democratic participation in Africa. Journal of Asian and African Studies, 36(1), 133-153.

Vaccari, C. (2011). The news media as networked political actors: how Italian media are reclaiming political ground by harnessing online participation. Information, Communication & Society, 14, 981-997. https://doi.org/10.1080/1369118X.2011.572984

Wells, C. (2010). Citizenship and communication in online youth civic engagement projects. Information, Communication & Society, 13(3), 419-441. https://doi.org/10.1080/13691180902833208

Welp, Y. (2008). Latin America in the e-government era: analysis of the introduction of new technologies to the improvement of democracy and government. Revista del CLAD Reforma y Democracia, 41.

Westholm, H. (2002). e-Democracy goes ahead. The internet as a tool for improving deliberative policies?. Electronic Government, 2456, 240-247.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
Santini, R. M., & Carvalho, H. (2019). Plataformas online de participação cidadã: meta-síntese e avaliação crítica de seus impactos sociais e políticos. Comunicação E Sociedade, 36, 163-182. https://doi.org/10.17231/comsoc.36(2019).2350
Secção
Artigos temáticos