Para além da propaganda e da Internet: a ética do jornalismo

  • J. Paulo Serra Departamento de Comunicação e Artes, Universidade da Beira Interior
Palavras-chave: Propaganda, internet, jornalismo, ética

Resumo

Segundo o “modelo da propaganda” de Herman e Chomsky, a informação veiculada pelos media noticiosos é determinada, em grande medida, quer em termos do agendamento quer em termos do enquadramento das notícias, pelas “indústrias da persuasão”. Ao contrário desses meios, a Internet oferece, pelo menos por enquanto, a possibilidade de dar livre voz a vozes diferentes e alternativas, de cidadãos e organizações cívicas e não-governamentais. Ela desafia, ao mesmo tempo, o monopólio dos meios noticiosos tradicionais para oferecerem informação relevante e credível. Esta possibilidade de cidadãos e organizações utilizarem a Internet para contrariar a propaganda constitui, provavelmente, uma das principais causas da atual crise do jornalismo. A sobrevivência do jornalismo a esta crise reside não num esquecimento da sua ética mas, antes, na reafirmação sistemática e consistente da mesma. A ética revela-se, assim, condição necessária, ainda que não suficiente, do sucesso pragmático do jornalismo.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2014-06-30
Como Citar
Serra, J. P. (2014). Para além da propaganda e da Internet: a ética do jornalismo. Comunicação E Sociedade, 25, 290-300. https://doi.org/10.17231/comsoc.25(2014).1875
Secção
Da publicidade à propaganda