O jornalismo e a obrigatoriedade do diploma: negociando as fronteiras da comunidade jornalística no Brasil

Autores

  • Rafael Fortes Universidade Federal Fluminense – UFF
  • Afonso de Albuquerqu Universidade Federal Fluminense – UFF

DOI:

https://doi.org/10.17231/comsoc.9(2006).1163

Palavras-chave:

Diploma, jornalismo, profissionalismo, Observatório da Imprensa, comunidade interpretativa

Resumo

Deve o diploma específico ser uma exigência para o profissional de jornalismo? Tal questão ganhou nova atualidade em 2001, quando uma decisão judicial suspendeu provisoriamente a obrigatoriedade do diploma, vigente desde 1969. Desde então, outras sentenças foram enunciadas. A cada uma delas, seguiu-se um animado debate, travado por insiders e outsiders da comunidade profissional jornalística acerca da obrigatoriedade do diploma e, por tabela, do conjunto de critérios que definem o profissionalismo no jornalismo. Este trabalho analisa tal debate, entendendo-o como um objeto privilegiado para investigar como, no Brasil, a comunidade jornalística define – ou melhor, negocia – suas fronteiras profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2012-12-20

Como Citar

Fortes, R., & Albuquerqu, A. de. (2012). O jornalismo e a obrigatoriedade do diploma: negociando as fronteiras da comunidade jornalística no Brasil. Comunicação E Sociedade, 9(10), 169-188. https://doi.org/10.17231/comsoc.9(2006).1163