(1)
Sengün, S. Por Que é Que Hei De Apaixonar-Me Por Um Duende, Quando Também Não Sou Nenhum Ogre? As Implicações Dos Avatars Virtuais Na Comunicação Digital. revistacomsoc 2015, 27, 167-180.